Biomédico e Anatomista (UERJ) - Mestre em Morfologia e Biologia Celular (FMRP/USP)

Anatomia do Sistema Locomotor


MEMBROS INFERIORES
Os membros inferiores apresentam uma arquitetura anatômica projetada para a sustentação do peso corporal na posição ortostática e para a locomoção. Anatomicamente está dividido em cintura pélvica, coxa, perna e pé.
CINTURA PÉLVICA - responsável por unir a parte livre do membro inferior à pelve.
Esqueleto da cintura pélvica - formado apenas pelo osso quadril (direito e esquerdo).
Articulações da cintura pélvica - formada pelas mesmas articulações da pelve, ou seja:
1.Sacroilíacas - feita entre o sacro e a parte ilíaca do quadril. São sinoviais planas do tipo sinartrose.
2.Sínfise púbica - articulação cartilaginosa do tipo sínfise feita entre as partes púbicas do quadril, apresentando um disco fibrocartilaginoso.
Músculos da cintura pélvica - apresenta dois grupos musculares:
1.Grupo de músculos curtos - formado pelos músculos piriforme, gêmeos, obturador externo e quadrado femoral. Atuam na rotação lateral da coxa.
2.Grupo glúteo - formado pelos músculos:
a.Glúteo máximo - atua na extensão e rotação lateral da coxa.
b.Glúteos médio e mínimo - atuam como abdutores e rotadores mediais da coxa.

COXA - parte do membro inferior entre a pelve e a perna.
Esqueleto da coxa - formado apenas pelo osso fêmur.
Articulações da coxa - o fêmur apresenta uma articulação proximal (coxofemoral) e duas articulações distais (femurpatelar e tibiofemoral):
1.Coxofemoral ou articulação do quadril - feita entre a cabeça do fêmur com o acetábulo do quadril. É sinovial esferóide realizando os movimentos de flexão, extensão, abdução, adução, rotação e circundação da coxa.
2.Femurpatelar - feita entre a face patelar do fêmur com a face articular da patela. É sinovial plana.
Obs. A patela funciona como uma polia facilitando os movimentos do joelhor e melhorando a eficiência do músculo quadríceps femoral.
Obs.Algumas atividades físicas como no ciclismo, futebol e corrida podem acarretar condromalácia patelar (joelho de corredor) que é a degeneração das cartilagens articulares da patela e dos côndilos femorais causando dor e desconforto.
3.Tibiofemoral ou articulação do joelho - feita entre os côndilos do fêmur com os côndilos da tíbia. É sinovial condilar, apresentando cartilagens chamadas meniscos, realizando como movimento principal a flexão e extensão da perna.
O joelho é uma articulação no qual sua estabilidade depende dos ligamentos colaterais, ligamentos cruzados, meniscos e principalmente dos músculos vastos.
Obs. Os meniscos são cartilagens que apresentam duas funções: ajuda na estabilidade melhorando o encaixe entre os côndilos e também atua como amortecedor biológico.
Músculos da coxa - a coxa apresenta três grupos musculares:
1.Grupo anterior - inervados pelo nervo femoral é formado pelos músculos iliopsoas, pectíneo, sartório e quadríceps femoral que atuam na flexão da coxa.
Obs. O quadríceps femoral é formado pelos músculos reto femoral e pelos três vastos (medial, intermédio e lateral) que atuam como extensores da perna.
2.Grupo medial - inervados pelo nervo obturatório é formado pelos músculos grácil e pelos adutores (longo, curto e magno) que atuam na adução da coxa.
3.Grupo posterior ou Jarrete - inervados pelo nervo tibial é formado pelos músculos bíceps femoral, semitendinoso e semimembranoso que atuam como extensores da coxa e flexores da perna.
Obs. O Jarrete também é conhecido como músculos isquiotibiais por sua origem comum na tuberosidade isquiática do quadril.

PERNA - parte do membro inferior entre a coxa e o pé.
Esqueleto da perna - formado pelos ossos tíbia (medial) e fíbula (lateral).
Articulações da perna - a perna apresenta duas articulações:
1.Tibiofibular proximal - feita entre a cabeça da fíbula com o côndilo lateral da tíbia. É sinovial plana com movimentos discretos de deslizamento.
2.Tibiofibular distal - feita entre o maléolo lateral da fíbula com a incisura fibular da tíbia. É fibrosa do tipo sindesmose apresentando movimentos insignificantes.
Músculos da perna - a perna apresenta três grupos musculares:
1.Grupo anterior - inervados pelo nervo fibular profundo é formado pelos músculos:
a.Tibial anterior - atua na dorsiflexão e inversão do pé.
b.Extensores longos do hálux e dedos - atuam na flexão dorsal do pé e na extensão do hálux e dedos.
2.Grupo lateral - inervados pelo nervo fibular superficial é formado pelos músculos fibulares (curto e longo) que atuam na eversão do pé.
3.Grupo posterior - inervados pelo nervo tibial apresenta duas camadas musculares:
Camada superficial ou panturrilha - formada pelos músculos gastrocnêmio e solear que atuam na plantiflexão do pé.
Camada profunda - formada pelos músculos:
a.Tibial posterior - atua na plantiflexão e inversão do pé.
b.Flexores longos do hálux e dedos - atuam na plantiflexão do pé e na flexão do hálux e dedos.
Obs. Os movimentos de dorsiflexão e plantiflexão ocorrem na articulação talocrural ou tornozelo e os movimentos de inversão e eversão ocorrem nas articulações intertarsicas.

PÉ - o pé representa a parte mais distal do membro inferior.
Esqueleto do pé - formado pelos ossos do tarso (calcâneo, tálus, navicular, cubóide e cuneiformes), metatarso e falânges.
Articulações do pé - o pé se articula com a perna pela articulação talocrural ou tornozelo que é sinovial gínglimo permitindo os movimentos de dorsiflexão e plantiflexão. As articulações próprias do pé são:
1.Intertársicas - feita entre os ossos do tarso. São sinoviais planas realizando os movimentos de eversão e inversão do pé.
2.Tarsometatarsicas - feita entre o tarso com a base dos metatarsos. São sinoviais planas.
3.Metatarsofalângicas - feita entre a cabeça dos metatarsos com a base das falânges proximais. São sinoviais condilares fazendo os movimentos de flexão, extensão, adução e abdução dos dedos.
4.Interfalângicas proximal e distal - feita entre as falânges media e distal. São sinoviais gínglimos fazendo flexão e extensão dessas mesmas falânges.
Músculos do pé - o pé apresenta dois grupos musculares:
1.Grupo dorsal - inervados pelo nervo fibular profundo é formado pelos músculos extensores curtos do hálux e dos dedos.
2.Grupo plantar - inervados pelos nervos plantares medial e lateral apresenta 4 camadas:
a.Primeira camada: abdutores do hálux e do mínimo e flexor curto dos dedos.
b.Segunda camada: quadrado plantar e lumbricais (fazem flexão das falanges proximais).
c.Terceira camada:flexor curto do hálux e do mínimo e adutor do hálux.
d.Quarta camada: interósseos plantares e dorsais (fazem adução e abdução dos dedos respectivamente).


MEMBROS SUPERIORES
Os membros superiores apresentam uma arquitetura anatômica projetada para orientar a mão no espaço a fim de permitir seus movimentos delicados e precisos de grande complexidade.
Divisão anatômica - anatomicamente o membro superior se divide em cintura escapular, braço, antebraço e mão.

CINTURA ESCAPULAR
Esqueleto da cintura escapular - formado pela clavícula (anterior) e escápula (posterior).
Articulações da cintura escapular
1.Esternoclavicular - sinovial selar feita entre a extremidade esternal da clavícula e a incisura clavicular do esterno. Articulação extremamente estável apresentando um disco cartilaginoso.
2.Acromioclavicular - sinovial plana feita entre a extremidade acromial da clavícula e o acrômio da escápula apresentando um pequeno disco cartilaginoso.
Obs. Os principais movimentos da cintura escapular que não envolvem o braço são: elevação, abaixamento, retrusão e protrusão.
Músculos da cintura escapular - a cintura escapular apresenta três grupos musculares:
1.Músculos toracoapendiculares:
a.Peitoral maior - único desse grupo que não atua na cintura escapular. Atua na adução do braço.
b.Peitoral menor - atua no abaixamento da cintura escapular.
c.Serrátil anterior - atua na protrusão da cintura escapular.
d.Subclávio - atua no abaixamento da cintura escapular.
2.Músculos espinoapendiculares:
a.Latíssimo do dorso - único desse grupo que não atua na cintura escapular. Atua na adução do braço.
b.Rombóides - atuam na retrusão da cintura escapular.
c.Levantador da escápula - atua na elevação da cintura escapular.
d.Trapézio - inervado pelo nervo acessório, atua na elevação, abaixamento e retrusão da cintura escapular.
3.Músculos escapuloumerais - se localizam na cintura escapular mas atuam no braço:
a.Deltóide - inervado pelo nervo axilar atua na flexão, extensão e abdução até 90 graus do braço.
b.Supraespinhal - atua na abdução do braço até 30 graus.
c.Infraespinhal - atua na rotação lateral do braço.
d.Redondo menor - atua na rotação lateral do braço.
e.Redondo maior - atua na adução do braço.
f.Subescapular - atua na rotação medial do braço.
Obs. Os músculos supra-espinhal, infra-espinhal, redondo menor e subescapular formam o grupo manguito rotador que é responsável pela estabilidade da articulação do ombro.

BRAÇO - parte do membro superior entre a cintura escapular e o antebraço.
Esqueleto do braço - formado apenas pelo osso úmero.
Articulações do braço - o úmero apresenta uma articulação proximal e duas articulações distais.
1.Articulação escapuloumeral ou articulação do ombro - é sinovial esferóide feita entre a cabeça do úmero e a cavidade glenóide da escápula realizando os movimentos de flexão, extensão, adução, abdução, rotação e circundação do braço.
2.Articulação úmero-ulnar ou articulação do cotovelo - é sinovial gínglimo feita entre a tróclea do úmero e a incisura troclear da ulna realizando os movimentos de flexão e extensão do antebraço.
3.Articulação úmero-radial - é sinovial esferóide especial feita entre o capítulo do úmero com a fóvea da cabeça do rádio. Essa articulação acompanha os movimentos da ulna na flexão e extensão do antebraço.
Músculos do braço - o braço apresenta dois grupos musculares:
1.Músculos do compartimento anterior - grupo inervado pelo nervo musculocutâneo.
a.Coracobraquial - atua na flexão do braço.
b.Bíceps braquial - atua na flexão a na supinação do antebraço.
c.Braquial - atua na flexão do antebraço.
2.Músculo do compartimento posterior - inervado pelo nervo radial.
Tríceps braquial - atua na extensão do antebraço.

ANTEBRAÇO - parte do membro superior localizado entre o braço e a mão.
Esqueleto do antebraço - formado por dois ossos: o rádio que é lateral e a ulna que é medial.
Articulações do antebraço - o antebraço apresenta duas articulações sinovias trocóides que realizam os movimentos de pronação e supinação do antebraço:
1.Articulação radio-ulnar proximal - feita entre a cabeça do rádio e a incisura radial da ulna.
2.Articulação radio-ulnar distal - feita entre a cabeça da ulna e a incisura ulnar do rádio.
Músculos do antebraço - o antebraço apresenta dois grupos musculares:
1.Músculos superficiais do grupo pronato-flexor: são inervados pelos nervos mediano e ulnar.
a.Pronador redondo - realiza a pronação do antebraço.
b.Flexor radial do carpo - atua na flexão e abdução da mão.
c.Flexor ulnar do carpo - atua na flexão e adução da mão.
Obs. Os músculos desse grupo apresentam origem comum no epicôndilo medial do úmero.
2.Músculos superficiais do grupo supinato-extensor: são inervados pelo nervo radial.
a.Supinador - realiza a supinação do antebraço.
b.Extensores radiais longo e curto do carpo - atuam na extensão e abdução da mão.
c.Extensor ulnar do carpo - atua na extensão e adução da mão.
Obs. Os músculos desse grupo apresentam origem comum no epicôndilo lateral do úmero.
Obs. os movimentos da mão ocorrem na articulação do punho chamada radiocarpica que é classificada como sinovial condilar feita entre os ossos da fileira proximal do carpo com a face carpal do rádio e com o disco articular.

MÃO - parte do membro superior que apresenta movimentos delicados e complexos.
Esqueleto da mão - formado pelos ossos do carpo, metacarpos e falânges.
Obs. O carpo apresenta duas fileiras de ossos:
1.Ossos da fileira proximal - pisiforme, piramidal, semilunar e escafóide.
2.Ossos da fileira distal - trapézio, trapezóide, capitato e hamato.
Articulações da mão
1.Intercárpicas - são sinoviais planas feita entre os ossos do carpo.
2.Carpometacárpicas - são sinoviais planas feita entre os ossos da fileira distal do carpo com a base dos metacarpos.
3.Metacarpofalângicas - são sinoviais condilares feita entre a cabeça dos metacarpos com a base das falânges proximais realizando os movimentos de flexão, extensão, adução, abdução e circundação dos dedos.
4.Interfalângicas proximais - são sinoviais gínglimo feita entre as falânges proximais e médias.
5.Interfalângicas distais - são sinoviais gínglimos feita entre as falânges médias e distais.
Obs. A articulação carpometacarpica do polegar é sinovial selar que realiza os movimentos do polegar de flexão, extensão, abdução, adução, oposição e circundação.
Obs. As articulações interfalângicas realizam os movimentos de flexão e extensão entre as falânges.
Músculos da mão - a mão apresenta três regiões musculares:
1.Região tenar - formada por músculos motores do polegar e inervados pelo nervo mediano.
a.Abdutor curto do polegar.
b.Flexor curto do polegar.
c.Oponente do polegar.
2.Região hipotenar - formada por músculos motores do mínimo e inervados pelo nervo ulnar.
a.Abdutor do mínimo.
b.Flexor curto do mínimo.
c.Oponente do mínimo.
3.Região palmar - formada por músculos motores do segundo ao quinto dedo e inervados pelos nervos ulnar e mediano.
a.Lumbricais - fexionam os dedos nas articulações metacarpofalângicas. Nervos mediano (1 e 2) e nervo ulnar (3 e 4).
b.Interósseos dorsais - abduzem os dedos. Nervo ulnar.
c.Interósseos palmares - aduzem os dedos. Nervo ulnar.

TÓRAX, ABDOME e PELVE
TÓRAX - é a parte superior do tronco limitado superiormente pelo pescoço e inferiormente pelo abdome. Suas funções básicas são de proteção das vísceras torácicas, seu esqueleto fixa músculos do pescoço, abdome, dorso e membros superiores, sustenta a cintura escapular e seus movimentos auxiliam a respiração.

Esqueleto do tórax - Os ossos que foram o esqueleto do tórax são as doze vértebras torácicas com seus discos intervertebrais, os doze pares de costelas e o osso esterno.
Obs. As costelas podem ser de 3 tipos:
1.Verdadeiras - são as costelas que se articulam diretamente ao esterno (1a a 7a costelas).
2.Falsas - são as costelas que se articulam indiretamente ao esterno (8a a 10a costelas).
3.Flutuantes - são as costelas que não se articulam ao esterno (11a e 12a costelas).
Articulações do tórax
As principais articulações do tórax são aquelas que estão envolvidas principalmente com os movimentos da parede torácica durante a respiração. São elas:
1.Articulações costovertebrais - feitas entre as costelas com as vértebras torácicas e são classificadas como sinoviais planas.
2.Articulações esternocostais - feitas entre o esterno e as cartilagens costais das costelas verdadeiras e são classificadas como sinoviais planas, sendo que a cartilagem costal da primeira costela faz uma articulação cartilaginosa com o esterno.
Obs. Todas as costelas se articulam posteriormente com as vértebras torácicas, porém, como as costelas flutuantes não se articulam anteriormente ao esterno elas apresentam maior mobilidade.
Durante a respiração podemos observar dois tipos de movimentos torácicos:
1.Movimentos em "alça de balde" das costelas para cima e para baixo que aumenta o diâmetro transversal do tórax.
2.Movimentos em "braço de bomba" do esterno para cima e para baixo que aumenta o diâmetro sagital do tórax.

Músculos da parede torácica
A parede torácica apresenta três camadas de músculos localizadas no espaço entre as costelas chamado de espaço intercostal, são eles:
1.Camada superficial - formada pelo músculo intercostal externo que atua elevando as costelas durante a inspiração.
2.Camada média - formada pelo músculo intercostal interno que atua abaixando as costelas na inspiração forçada.
3.Camada profunda - formada pelo músculo intercostal íntimo que atua abaixando as costelas na inspiração forçada.
Obs. Os 3 músculos intercostais atuam principalmente mantendo constante a distância entre as costelas durante a respiração.

ABDOME - É a parte média do tronco limitado superiormente com o tórax e inferiormente com a pelve. Suas funções básicas dependem principalmente de sua musculatura, ou seja: seus músculos protegem as vísceras abdominais, auxiliam na respiração, auxiliam na postura e locomoção e ainda realizam os movimentos do tronco.
Esqueleto do abdome - Os ossos que formam o esqueleto do abdome são apenas as cinco vértebras lombares com seus discos intervertebrais.
Articulações do abdome
As articulações do abdome são as feitas entre as vértebras lombares, já estudadas em coluna vertebral.
Músculos do abdome - O abdome apresenta duas paredes musculares:
1.Os músculos da parede posterior do abdome:
A.Psoas maior - atua no membro inferior.
B.Psoas menor - atua no membro inferior.
C.Ilíaco - atua no membro inferior.
D.Quadrado lombar - único músculo dessa parede que atua fazendo inclinação lateral do tronco.
2.Os músculos da parede ântero-lateral do abdome:
A.Reto abdominal - atua na flexão do tronco.
B.Obliquo externo - atua na flexão e na rotação contralateral do tronco.
C.Obliquo interno - atua na flexão e na rotação ipsilateral do tronco.
D.Transverso abdominal - único dessa parede que não atua em movimentos do tronco.

PELVE - Parte inferior do tronco limitado superiormente pelo abdome e inferiormente pelos membros inferiores. Suas funções dependem principalmente de seu esqueleto, ou seja, seu esqueleto protege as vísceras pélvicas, fixa músculos relacionados com a postura e locomoção, sustenta o peso da parte superior do corpo na posição sentado e transfere o peso para os membros inferiores na posição em pé.
Esqueleto da pelve - Os ossos que formam o esqueleto da pelve são o quadril, o sacro e o cóccix.
Articulações da pelve - A pelve apresenta as seguintes articulações:
1.Articulações sacroiliacas - feitas entre o sacro com a parte ilíaca do quadril, é classificada como sinovial plana do tipo sinartrose porque não apresenta mobilidade.
2.Sínfise púbica - feita entre as partes púbicas dos quadris sendo classificada como cartilaginosa do tipo sínfise.
Músculos da pelve - Os músculos da pelve que formam o diafragma pélvico, fechando inferiormente a pelve são o músculo levantador do ânus e o músculo coccígeo que atuam principalmente sustentando as vísceras pélvicas.

COLUNA VERTEBRAL
A coluna vertebral representa a parte principal do esqueleto axial, com 75 centímetros de comprimento atravessa o pescoço, tórax, abdome e termina na pelve.
A coluna vertebral apresenta as seguintes funções:
1.Sustentar e permitir o mobilidade da cabeça.
2.Permitir a mobilidade do pescoço e tronco.
3.Proteger a medula espinhal.
4.Serve para fixar músculos.
5.Sustenta a maior parte do peso corporal.

Constituição da coluna vertebral
A coluna vertebral é formada por 33 vértebras distribuídas em cinco regiões:
1.Região cervical - apresenta sete vértebras cervicais com discos intervertebrais.
2.Região torácica - apresenta doze vértebras torácicas com discos intervertebrais.
3.Região lombar - apresenta cinco vértebras lombares com disco intervertebrais.
4.Região sacral - apresenta cinco vértebras sacrais sem discos intervertebrais.
5.Região coccígea - apresenta quatro vértebras coccígeas sem discos intervertebrais.
Obs. As regiões cervical, torácica e lombar apresentam discos intervertebrais. Não existem discos intervertebrais entre o osso occipital e o atlas, entre o atlas e o axis e entre as vértebras sacrais e coccígeas.
Obs. Os discos intervertebrais são estruturas fibrocartilaginosas que apresentam as funções de: (1) amortecedor biológico e (2) permite os movimentos da coluna nas regiões cervical, torácica e lombar.
Obs. As únicas vértebras que possuem nome são: Atlas (C1), Axis (C2) e Proeminente (C7).

Curvaturas normais da coluna vertebral
São curvaturas fisiológicas que ajudam na função de sustentação, distribuindo melhor o peso da maior parte do corpo entre as vértebras, são elas:
1.Curvatura cervical - é do tipo secundária porque aparece depois do nascimento.
2.Curvatura torácica - é do tipo primária porque aparece antes do nascimento.
3.Curvatura lombar - é do tipo secundária.
4.Curvatura sacral - é do tipo primária.
A coluna vertebral pode apresentar as seguintes curvaturas patológicas:
1.Cifose - é o aumento das curvaturas primárias (torácica e sacral).
2.Lordose - é o aumento das curvaturas secundárias (cervical e lombar).
3.Escoliose - é o aparecimento de curvaturas laterais na coluna vertebral.

Movimentos da coluna vertebral
A coluna vertebral realiza os movimento de flexão, extensão, rotação e inclinação lateral apenas nas regiões que possuem discos intervertebrais (cervical, torácica e lombar).
Obs. A região cervical apresenta maior grau de flexão, a região lombar maior grau de extensão e a região torácica tem seus movimentos limitados devido às articulações feitas entre as costelas e as vértebras torácicas.

Articulações da coluna vertebral
A coluna apresenta articulações especiais que permitem a mobilidade da cabeça, são elas:
1.Atlanto-occipital - sinovial condilar que permite os movimentos de flexão e extensão da cabeça.
2.Atlanto-axial: - sinovial trocóide que permite o movimento de rotação da cabeça.

As maioria das articulações na coluna vertebral são aquelas que permitem a mobilidade do tronco e do pescoço. Essas articulações, chamadas de típica, são feitas entre os corpos vertebrais com a presença do disco intervertebral e são classificadas como cartilaginosas do tipo sínfise devido a cartilagem do disco apresentar fibras que aumentam sua resistência.

Músculos próprios da coluna vertebral
Os principais músculos que atuam nos movimentos da coluna são os do complexo sacro-espinhal. O complexo sacro-espinhal é formado pelos músculos eretores da espinha que apresenta três colunas:
1.Coluna lateral - músculo iliocostal.
2.Coluna intermédia - músculo longuíssimo.
3.Coluna medial - músculo espinhal.
Obs.Na região do pescoço os movimentos são feitos também pelos músculos esplênios (da cabeça e do pescoço).
Obs. Os músculos mais profundos da coluna vertebral são apenas posturais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA
Conceito lato sensu: É a Ciência que estuda a forma e a estrutura dos seres celularmente organizados.
Conceito strictu sensu: É a ciência que estuda a forma e a estrutura do corpo humano.

Conceitos de anatomia e anatomia humana - Conceito Etimológico:
1 – Grego: Ana = em partes + Tomein = cortar - Ato de cortar em partes o cadáver para estudo.
2 – Latim: dis = em partes + secare = seccionar (cortar) em partes - Técnica de separar ou cortar em partes o cadáver. O termo cadáver é proveniente do acróstico latino  “Carnus Data Vermibus”, que significa “carne dada aos vermes”

Divisões da Anatomia:
1. Segundo método de observação:
1.1.Anatomia Microscópica (Histologia): Necessita para o seu estudo a utilização de um microscópio.
1.2.Anatomia Macroscópica: Se estuda sem precisar de aparelhos especiais. As estruturas são observadas a olho desarmado.
1.3.Anatomia Mesoscópica: Necessita para o seu estudo do uso de lupas estereoscópicas que aumente as dimensões das estruturas, para uma observação tridimensional.

2.Segundo métodos de estudo:
2.1.Anatomia Sistemática ou Descritiva: Estuda o corpo mediante uma divisão por sistemas orgânicos isoladamente.
2.2.Anatomia Topográfica ou Regional: Estuda o corpo mediante uma divisão por segmentos ou regiões .
2.3.Anatomia imaginológica: Estuda o corpo mediante o uso de imagens (Raios X) , tomografias, ressonâncias magnéticas.
2.4.Anatomia de Superfície: Estuda o corpo mediante os relevos e as depressões existentes em sua superfície.
2.5.Anatomia em cortes segmentados: Estuda o corpo mediante o uso de cortes seriados para ser associado aos estudos de tomografias e ressonâncias magnéticas.
2.6.Anatomia Comparada: Estuda o corpo humano realizando comparações com o corpo dos animais.

Métodos Utilizados no Estudo da Anatomia:
1.Dissecação: Método que consiste em cortar as estruturas do corpo separando-as em partes, sem destruí-las.
2.Maceração: Método que consiste em destruir as estruturas moles do corpo, preservando as mais rígidas. Utilizada no preparo de ossos.
3.Corrosão: Método que consiste em injetar, nos vasos ou em cavidades, acrílico ou vinilite, uma massa plástica líquida que se torna rígida rapidamente. Em seguida, as estruturas são submetidas à ação de substâncias corrosivas (ácidos) para obtenção de moldes ou modelos. Usada para estudo de comportamento de vasos e cavidades de órgãos ocos.
4.Diafanização: Método que consiste em tornar o órgão transparente mediante a uma prévia desidratação da peça em uma série de alcoóis em diversas graduações e, em seguida, colocá-lo em substâncias que o torne transparente (benzoato de benzila e salicilato de metila). Usada para estudo de vasos na parede do órgão.
5.Cortes segmentados: Método que consiste em dividir o corpo em segmentos. Usado para identificação de imagens.
6.Rádio-imagem: Método que consiste no estudo através de imagens.
7.Macro-modelos: Método que consiste no estudo em modelos que substituam as peças naturais.
8.Pranchas: Método que consiste no estudo através de pranchas ou quadros.

Divisão do Corpo Humano - anatomicamente o corpo humano é dividido em:
1.Cabeça - parte superior dividida pelo plano meato-orbitário em neurocrânio e víscerocranio.
2.Pescoço - parte que conecta as estruturas da cabeça como as estruturas do tronco.
3.Tronco - parte dividida em: tórax, abdome e pelve.
4.Membros:  Membros Superiores - dividida anatomicamente em: raiz (cintura escapular) e Parte livre (braço, antebraço e mão).  Membros Inferiores - dividida anatomicamente em: raiz (cintura pélvica) e Parte livre (coxa, perna e pé).

Posição Anatômica - É a posição padrão adotada para o corpo humano no espaço, para que se possa descrever as estruturas que o compõem. Serve para evitar o uso de diferentes termos nas descrições anatômicas.
A descrição é feita com o cadáver deitado em decúbito dorsal:
1.Cabeça alinhada ao corpo com a face voltada para frente.
2.Membros superiores junto ao tronco com a palma das mãos voltada para frente.
3.Membros inferiores próximos com a ponta dos pés voltada para frente.

Nomenclatura Anatômica:
1.Conceito: É o conjunto de termos empregados para designar e descrever o organismo como um todo ou as estruturas que formam suas partes.
2.Histórico: BNA (Basle Nomina Anatômica) – 1895. PNA (Paris Nomina Anatômica) – 1955.

A última atualização da nomenclatura anatômica, ocorreu em fevereiro de 1998, quando a Federação Internacional de Anatomistas reuniu-se em Mainz, Alemanha para apresentar a nova Nomina Anatômica.
3.Princípios gerais: Idioma oficial: Latim, podendo se traduzido para o vernáculo do país. Abolição dos epônimos.
Termos devem indicar: forma, posição, situação, etc.
4.Abreviatura dos termos usuais:
Artéria (a.) / artérias (aa.).
Veia (v.) / veias (vv.).
Nervo (n.) / nervos (nn.).
Músculo (m.) / músculos (mm.).

Planos do corpo humano
Planos de delimitação - são seis planos que tangenciam a superfície externa do corpo, tangentes à sua
superfície, os quais, com suas intersecções, determinam a formação de um paralelepípedo.
Planos verticais: 
1.ventral ou anterior - plano que passa pela frente do corpo.
2.dorsal ou posterior - plano que passa por trás do corpo.
3.lateral direito - plano que passa do lado direito do corpo.
4.lateral esquerdo - plano que passa do lado esquerdo do corpo. 
Planos horizontais:
1.cranial ou superior - plano que passa por cima do corpo.
2.caudal ou inferior ou podal - plano que passa por baixo do corpo.
Planos de secção  - são planos que dividem o corpo em duas metades ou partes.
1.Plano mediano - divide o corpo em metades direita e esquerda.
2.Plano sagital - divide o corpo ou um órgão em partes direita e esquerda.
3.Plano frontal ou coronal - divide o corpo ou um órgão em partes ventral ou anterior e dorsal ou posterior.
4.Plano transversal - divide o corpo ou um órgão em partes superior ou cranial e inferior ou caudal.

Eixos do corpo humano: São linhas imaginárias que atravessam o corpo passando pelos planos de delimitação opostos:
1.Longitudinal - atravessa o corpo no sentido craniocaudal.
2.Sagital - atravessa o corpo no sentido anteroposterior.
3.Transversal - atravessa o corpo no sentido latero-lateral.

Termos de posição e direção:
1.Para estruturas localizadas no eixo transversal:
Lateral: estrutura ou parte do corpo situada mais afastada do plano mediano.
Medial: estrutura ou parte do corpo situada mais próxima do plano mediano.
Intermédia: estrutura ou parte do corpo situada entre uma lateral e outra medial.
2.Para estruturas localizadas no eixo sagital:
Ventral ou anterior: estrutura ou parte do corpo situada mais próxima ao plano ventral.
Dorsal ou posterior: estrutura ou parte do corpo situada mais próxima ao plano dorsal.
Média: estrutura ou parte do corpo situada entre uma ventral e outra dorsal.
3.Para estruturas localizadas no eixo longitudinal:
Cranial ou superior: estrutura ou parte do corpo situada mais próxima ao plano superior.
Caudal ou inferior: estrutura ou parte do corpo situada mais próxima ao plano inferior.
Média: estrutura ou parte do corpo situada entre uma cranial e outra caudal.
4.Para estruturas localizadas no eixo longitudinal dos membros:
Proximal: estrutura ou parte situada mais próxima da raiz do membro.
Distal: estrutura ou parte situada mais distante da raiz do membro.
Média: estrutura ou parte do corpo situada entre uma proximal e outra distal.
Obs 1.Estrutura mediana: estrutura ou parte do corpo situada no plano mediano.
Obs 2.Estruturas externa e interna: fora e dentro das cavidades respectivamente.
Obs 3.Estruturas superficial e profunda: referentes a camadas ou estratos. Superficial é o que está mais próximo da superfície e profundo quando mais afastado da superfície

ESTUDO GERAL DOS OSSOS
O aparelho locomotor é constituído por ossos, articulações e músculos. Os ossos representam o elemento passivo e os músculos representam o elemento ativo e as articulações correspondem ao local onde pode ocorrer o movimento do elemento passivo.

O aparelho esquelético é constituído por um conjunto de ossos e cartilagens interligados para formar o esqueleto ou arcabouço do corpo humano.
O esqueleto apresenta principalmente as seguintes funções:
1.Participa passivamente do movimento corporal.
2.Confere a forma do corpo.
3.Protege órgãos importantes.
4.Sustenta as partes moles do corpo.
5.Armazena cálcio e outras substâncias minerais.
6.É o local onde ocorre a produção de sangue.

Divisão do esqueleto - Anatomicamente o esqueleto é dividido em duas partes:
1.Esqueleto axial - formado pelos ossos da cabeça, coluna vertebral, costelas e esterno.
2.Esqueleto apendicular - formado pelos ossos dos membros superior e inferior.
Obs. O número de ossos de uma pessoa adulta é de 206, porém, esse número pode variar com a idade ou por fatores individuais e até por critérios de contagem.

Classificação anatômica dos ossos:
1.Ossos longos - são aqueles que apresentam maior comprimento e predominam nos membros.
2.Ossos planos - são aqueles que apresentam pouca espessura e predominam no crânio.
3.Ossos curtos - são aqueles que apresentam espessura, comprimento e largura semelhantes e se localizam na mão e no pé.
4.Ossos irregulares - são aqueles que apresentam forma complexa e predominam na coluna vertebral.
5.Ossos pneumáticos - são aqueles que apresentam cavidade com ar e se localizam apenas na cabeça.
6.Ossos sesamóides - são aqueles que se localizam nos tendões musculares e são observados apenas nos membros. O maior osso sesamóide é a patela, localizada no joelho, cujas funções são: proteção e acilitar os movimentos do joelho.

Periósteo - É uma membrana fina que envolvem externamente os ossos exceto em suas superfícies articulares, onde está revestida por cartilagem articular, e apresentam como principais funções:
1.Participa do crescimento dos ossos em espessura.
2.Participa da nutrição dos ossos conduzindo os vasos sanguíneos.
3.Contribui para o reparo de fraturas.
4.Serve como ponto de fixação para ligamentos e tendões.

ESTUDO GERAL DAS ARTICULAÇÕES
As articulações representam a união existente entre as partes rígidas do esqueleto, podendo ser o local onde ocorre o movimento do elemento passivo do sistema locomotor.

As articulações podem ser classificadas de acordo com o material interposto em:
1.Articulações fibrosas - apresentam tecido fibroso unindo os ossos na articulação e predominam na cabeça.
Obs. As articulações fibrosas localizadas na cabeça são chamadas de suturas e apresentam pouca quantidade de fibras. As articulações fibrosas localizadas fora da cabeça são chamadas de sindesmose e apresentam grande quantidade de fibras.
2.Articulações cartilaginosas - apresentam tecido cartilaginoso unindo os ossos na articulação e predominam na coluna vertebral.
Obs. Quando a cartilagem apresenta fibras seu tipo é chamado de sínfise e quando não apresentam essas fibras seu tipo é chamado de sincondrose.
3.Articulações sinoviais - apresentam líquido sinovial entre os ossos na articulação e predominam nos membros superior e inferior.

As articulações podem ser classificadas de acordo com a mobilidade em:
1.Sinartrose - são articulações que não apresentam mobilidade portanto, predominam no crânio.
2.Anfiartrose - são articulações que apresentam pouca mobilidade e portanto, predominam na coluna vertebral.
3.Diartrose - são articulações que apresentam grande mobilidade e portanto, predominam nos membros.

Articulações sinoviais
São articulações que apresentam liquido sinovial e geralmente grande mobilidade, apresentado as seguintes características básicas:
1.Cápsula articular - estrutura fibrosa e maleável que envolve toda articulação tendo a função de unir os ossos nas articulações sinoviais.
Obs.Algumas articulações apresentam ligamentos relacionados as cápsulas que servem principalmente para impedir movimentos errados e limitar a amplitude de movimentos corretos.
2.Membrana sinovial - membrana fina que reveste internamente a cápsula cuja função é produzir o líquido sinovial.
3.Líquido sinovial - tem a função de lubrificar a cartilagem articular dos ossos.
4.Cartilagem articular - tem a função de revestir a superfície articular dos ossos.
5.Cavidade articular - espaço localizado dentro das articulações sinoviais que armazena o líquido sinovial.

Obs. algumas articulações sinoviais apresentam estruturas de proteção chamadas de discos e meniscos que são cartilagens reforçadas com as funções de amortecedor biológico e também de adaptadores para melhorar o encaixe entre os ossos.

Principais movimentos das articulações sinoviais:
1.Flexão - é o movimento em que ocorre a diminuição do ângulo articular.
2.Extensão - é o movimento em que ocorre o aumento do ângulo articular.
3.Abdução - é o movimento em que ocorre o afastamento do plano mediano.
4.Adução - é o movimento em que ocorre a aproximação do plano mediano.
5.Rotação - é o movimento giratório que ocorre no próprio eixo do osso.
6.Circundação - é o movimento combinado de extensão, abdução, adução e flexão.

Eixos e planos de movimentos.
1.Os movimentos de flexão e extensão ocorrem no eixo transversal e no plano sagital.
2.Os movimentos de adução e abdução ocorrem no eixo sagital e no plano frontal ou coronal.
3.O movimento de rotação ocorre no eixo longitudinal e no plano transversal.
Obs. O movimento de circundação por ser uma combinação de movimentos não apresenta eixo e plano.

Classificação morfológica das articulações sinoviais:
1.Sinovial plana - apresenta superfície plana e seu movimento é de deslizamento. Essas articulações são observadas entre os ossos do carpo e do tarso.
2.Sinovial gínglimo - apresentam superfícies que se encaixam como dobradiças e seus movimentos são de flexão e extensão. Podemos observar essa articulação no cotovelo.
3.Sinovial trocóide - apresenta forma de cilindro e seu movimento é de rotação. O antebraço apresenta essa articulação entre seus ossos, rádio e a ulna.
4.Sinovial condilar - apresenta forma de elipse e seus movimentos são de flexão, extensão, adução, abdução e circundação. A articulação do punho é desse tipo.
5.Sinovial selar - apresenta formato de sela e seus movimentos são de flexão, extensão, adução, abdução e circundação. A articulação do polegar entre o carpo e metacarpo.
6.Sinovial esferóide - apresenta formato de bola e seus movimentos são de flexão, extensão, adução, abdução, rotação e circundação. As articulações do ombro e do quadril são desse tipo.

ESTUDO GERAL DOS MÚSCULOS
Os músculos são órgãos formados por células especializadas para a contração e relaxamento, chamadas de fibras musculares, que podem gerar movimento durante sua contração.
O corpo humano apresenta duas variedades de músculos de acordo com sua localização: músculos esqueléticos (estão presos ao esqueleto) e músculos viscerais (quando fazem parte dos órgãos).
Com relação ao controle do sistema nervoso central também se observa duas variedades de músculos: músculos voluntários (de controle consciente) e músculos involuntários (de controle incosciente).
Os músculos esqueléticos apresentam contração voluntária e os músculos víscerais apresentam contração involuntária.

Unidade motora e placa motora - cada músculo apresenta um nervo motor que cujas fibras nervosas se dividem até cada uma atingir várias fibras musculares. O conjunto formado por um neurônio motor e as fibras musculares que ele inerva chama-se unidade motora. Nos músculos esqueléticos a região de contato entre a extremidade da fibra nervosa e a fibra muscular é conhecida como placa motora.
Obs. O corpo humano apresenta aproximadamente 700 músculos esqueléticos o que representa em média 50 % do peso corporal em indivíduos com peso normal.
Os músculos esqueléticos apresentam três funções básicas:
1.Realizar os movimentos corporais.
2.Manter as diferentes posições do corpo, inclusive a posição ortostática.
3.Protege estabilizando as articulações.

Tipos normais de contração muscular
1.Contração tônica - contração involuntária e leve observada nos músculos relaxados.
2.Contração reflexa - contração involuntária que gera movimento tendo a função de proteção.
3.Contrações ativas - são contrações voluntárias de três tipos:
a.Isométrica - contração voluntária que não gera movimento servindo para manter a posição corporal.
b.Isotônica concêntrica - contração voluntária que gera movimento com encurtamento muscular.
c.Isotônica excêntrica - contração voluntária que gera movimento com alongamento muscular.
Tipos patológicos de contração muscular
1.Cãibra - contração involuntária, forte e dolorosa dos músculos.
2.Tremor - contração involuntária e rítmica dos músculos.
3.Fasciculação - contração involuntária de pequena parte do músculo.
4.Tique - contração involuntária, súbita e repetitiva de um grupo muscular.

Partes anatômicas dos músculos esqueléticos
Os músculos esqueléticos apresentam duas partes anatômicas:
1.Parte contrátil - representada pelo ventre muscular que é formado pelas células musculares especializadas na contração.
2.Parte fixadora - representada por tendões e aponeuroses que são responsáveis por prender o músculo ao esqueleto.
Obs. Tendões representam a parte fixadora com forma de fita, predominando nos músculos dos membros. As aponeuroses apresentam forma de lâmina e predominam nos músculos do tronco.
Obs. Os músculos são envolvidos por uma lâmina fina de tecido conjuntivo, chamada fáscia muscular, que apresenta as funções de ajudar na fixação do músculo ao esqueleto, facilita o deslizamento entre os músculos evitando atrito e aumentar a eficiência do trabalho muscular.
Envoltórios musculares
Os músculos esqueléticos estão envolvidos externamente por lâminas finas de tecido conjuntivo (epimísio) que penetram no músculo formando septos internos. Assim observamos regiões internas separadas chamadas de feixes musculares que são revestidas pelo perimísio. Cada fibra muscular que forma o feixe muscular também apresenta um revestimento conjuntivo chamado endomísio.
Conceitos de origem e inserção muscular
Origem - é a extremidade do músculo que é fixa ou imóvel durante o movimento.
Inserção - é a extremidade do músculo que apresenta mobilidade, realizando o movimento.

Classificações dos músculos esqueléticos
1.De acordo com a forma
A.músculo longo - são os que apresentam forma alongada, predominam nos membros e se prendem por tendões. Exemplo: m. fibulares.
B.músculo plano - são os que apresentam geralmente grande área e pouca espessura, predominam no tronco e se prendem por aponeuroses. Exemplo: m. obliquo externo.
C.músculo curto - são pequenos músculos de proporções iguais predominando na coluna vertebral. Ex. músculos  intertransversários, semiespinhais, multífidos e rotadores.
C.músculo circular - são os que apresentam forma de círculos e se localizam nas aberturas corporais externas formando esfíncteres. Predominam na cabeça. Exemplo: m. orbicular da boca.
2. De acordo com a origem
A.músculo bíceps - apresentam duas origens musculares. Exemplo: m. bíceps braquial.
B.músculo tríceps - apresentam três origens musculares. Exemplo: m. tríceps braquial.
C.músculo quadríceps - apresentam quatro origens musculares. Exemplo: m. quadríceps femoral.
3. De acordo com a inserção
A.músculo monocaudado – apresentam uma inserção muscular. Exemplo: m. semitendinoso.
B.músculo bicaudado – apresentam duas inserções musculares. Exemplo: todo músculo bíceps se torna bicaudado ao inverter seu movimento.
C.músculo policaudado – apresentam mais de duas inserções musculares. Exemplo: m. extensor dos dedos.
4. De acordo com o ventre muscular
A.músculo unigástrico – apresentam um ventre muscular. Exemplo: m extensor longo do hálux.
B.músculo digástrico – apresentam dois ventres musculares. Exemplo: m. gastrocnêmico.
C músculo poligástrico – apresentam vários ventres musculares. Exemplo: m. reto abdominal.
5. De acordo com a função
A.músculo agonista – é o músculo que realiza o movimento.
B.músculo antagonista – é o músculo que controla a velocidade do movimento produzido pelo agonista.
C.músculo sinergista – é o músculo que estabiliza e protege a articulação durante o movimento

CABEÇA e PESCOÇO
CABEÇA - A cabeça representa a parte superior do corpo humano sendo, dividida anatomicamente em duas partes pelo plano orbitomeático: o neurocrânio e o viscerocrânio.
1.Neurocrânio ou crânio - parte maior e superior que abriga o encéfalo.
2.Viscerocrânio ou face - parte que abriga os órgãos dos sentidos especiais (visão, audição e gustação) além de partes do aparelho respiratório e digestório.

Esqueleto da cabeça - O esqueleto da cabeça é formado por 22 ossos distribuídos por suas partes:
A.Crânio (8 ossos) - frontal, occipital, esfenóide, etmóide, temporais e parietais.
B. Face (14 ossos) - mandíbula, vômer, nasais, lacrimais, maxilares, conchas nasais inferiores, palatinos e zigomáticos.
Obs. O único osso da cabeça que apresenta mobilidade é a mandíbula.
Obs. Os ossos pneumáticos formam os chamados seios paranasais devido sua relação anatômica com a cavidade nasal. Os ossos pneumáticos são: frontal, esfenóide, etmóide e maxilares.
As funções desses ossos pneumáticos são:
1.Diminuir o peso da cabeça.
2.Funcionar como caixa amplificadora de som.

Articulações da cabeça - As principais articulações da cabeça são as do tipo fibrosa e chamadas de suturas, devido a pouca quantidade de tecido fibroso unindo os ossos. As suturas podem ser classificadas em:
1.Suturas verdadeiras - quando os ossos se encaixam por reentrâncias. Exemplos: suturas coronal, sagital e lambdóide.
2.Suturas falsas - quando os ossos apenas se tocam por superfícies ásperas. Exemplo: sutura escamosa.
Obs. A única articulação móvel da cabeça é a temporomandibular ou ATM, que é feita pelos processos condilares da mandíbula com a fossa da mandíbula do osso temporal. Essa articulação é classificada como sinovial condilar permitindo os movimentos de: elevação, abaixamento, retrusão e protrusão da mandíbula, além de lateralização.
Obs. A estabilidade da mandíbula depende do seu disco articular e dos ligamentos laterais, esfenomandibulares e estilomandibulares que impedem sua luxação.

Músculos da cabeça - A cabeça apresenta três grupos musculares:
1.Grupo de músculos do crânio - são formados por músculos dérmicos que servem para movimentar a pele do couro cabeludo. São eles: occipitofrontal, auriculares e temporoparietais. Esse grupo é inervado pelo nervo facial.
2.Grupo de músculos da face - são formados por músculos dérmicos que servem para movimentar a pele da face como acontece nas expressões faciais. Por exemplo, temos os músculos orbiculares da boca e olhos, risório, bucinador, zigomáticos e etc. Esse grupo é inervado pelo nervo facial.
3.Grupo de músculos da mastigação - são formados por músculos que movem a mandíbula durante a fala e a mastigação sendo inervados pelo ramo mandibular do nervo trigêmeo.

Os músculos da mastigação são os seguintes:
1.Temporal - atua na elevação e retrusão da mandíbula.
2.Masseter - atua na elevação da mandíbula.
3.Pterigóide medial - atua na elevação e protrusão da mandibula.
4.Pterigóide lateral - atua no protrusão e abaixamento contra-resistencia da mandíbula.
Obs. Os movimentos laterais são feitos pelo temporal e outros músculos do lado oposto.
Obs. Origem e inserção dos músculos da mastigação:

Temporal: Origem - Assoalho da fossa temporal à superfície profunda da fáscia temporal. Inserção - processo coronóide e margem anterior do ramo da mandíbula.
Masseter: Origem - Margem inferior do osso zigomático (parte superficial) e margem inferior do arco zigomático (parte profunda). Inserção: dois terços inferiores da face lateral do ramo da mandíbula.
Pterigóide medial: Origem - face medial da lâmina lateral do processo pterigóide. Inserção: superfície medial do ramo da mandíbula.
Pterigóide lateral: Origem - face lateral da lâmina lateral do processo pterigóide. Inserção: superfície medial do ramo da mandíbula. Inserção: Fóvea pterigóidea e margem anterior do disco da ATM

PESCOÇO - O pescoço é a parte do corpo humano compreendida entre a cabeça e o tórax, apresentando estruturas que comunicam essas duas partes além de possuir suas próprias estruturas.
Esqueleto do pescoço - Os ossos que formam o esqueleto do pescoço são as sete vértebras cervicais com seus discos e o osso hióide.
Articulações do pescoço - As articulações do pescoço correspondem as da coluna vertebral; sendo, as articulações típicas feita entre os corpos vertebrais, classificadas como cartilaginosas do tipo sínfise e as articulações especiais da coluna vertebral
As articulações especiais da coluna são:
1.Atlanto-occipital - feita entre o occipital e o atlas, classificada como sinovial condilar permitindo os movimentos de flexão e extensão da cabeça.
2.Atlanto-axial - feita entre o atlas e o axis, classificada como sinovial trocóide permitindo o movimento de rotação da cabeça.
Músculos do pescoço - O pescoço apresenta dois grupos musculares principais:
1.Grupo vertebral - atuam na coluna cervical e cabeça:
A.Músculos prévertebrais - fazem a flexão da cabeça e pescoço. São eles: retos anteriores: maior e menor da cabeça, reto lateral da cabeça e longo do pescoço.
B.Músculos paravertebrais - fazem inclinação lateral do pescoço. São eles: escalenos anterior, médio e posterior.
C.Músculos pósvertebrais ou suboccipitais- fazem a extensão da cabeça. São eles: retos posteriores maior e menor da cabeça e os oblíquos: superior e inferior da cabeça.
2.Grupo superficial próprio do pescoço –  estão localizados próximo a superfície do pescoço.
A.Platisma - único músculo dérmico do pescoço que atua movimentando a pele do pescoço sendo inervado pelo nervo facial.
B.Esternocleidomastóide - atua na inclinação lateral e rotação e da cabeça com a face voltada para o lado oposto. Inervado pelo nervo acessório. Origem: face lateral do processo mastóide. Inserção: face anterior do manúbrio e face superior do terço médio da clavícula.
C.Esplênios da cabeça e pescoço - fazem a extensão da cabeça e pescoço.